Como devo mudar a minha vida?

A maioria dos pacientes consegue ter uma excelente qualidade de vida, embora possa haver algumas restrições. O médico poderá orientá-lo para atingir os seus objetivos.

Exercício

O exercício moderado é bom para a maioria das pessoas e contribui para diminuir o risco geral de doença cardíaca. Ajuda a regular os ritmos biológicos diários, melhora o sono, o humor e é importante para controlar o peso. No entanto, antes de iniciar qualquer programa de exercício, deve consultar o médico ou outro profissional de saúde qualificado para discutir o nível de atividade física que planeia realizar, especialmente se sentir intolerância ao exercício.

Contudo, deve evitar fazer exercícios extenuantes. Alguns estudos demonstraram que o risco de fibrilhação auricular é maior em atletas de resistência, como corredores de longa distância ou ciclistas. Assim, os pacientes são encorajados a fazer exercícios leves a moderados, evitando exercícios excessivos.

 

Se tiver um episódio de fibrilhação auricular durante o exercício, deve parar, sentar-se e seguir as recomendações do médico ou procurar aconselhamento médico.

Estão disponíveis muitas aplicações e dispositivos portáteis (monitores de atividade, smartwatches) para monitorizar o exercício, incluindo monitores de frequência cardíaca, contagem de passos e monitorização de distância ou ritmo.

Álcool

O consumo de álcool está associado a um risco acrescido de fibrilhação auricular de uma forma que depende da dose. Embora o consumo baixo a moderado de álcool não cause geralmente problemas em pacientes com fibrilhação auricular, recomenda-se vivamente que se evite o consumo excessivo de álcool. Se sentir que o consumo de álcool, mesmo em doses baixas, causa episódios de fibrilhação auricular, deve evitar consumi-lo.

O consumo elevado de álcool pode causar fibrilhação auricular e afetar a prevenção de acidentes vasculares cerebrais com tratamento anticoagulante, em particular em pacientes que tomam antagonistas da vitamina K (como varfarina, acenocumarol, etc.). Além disso, pode aumentar o risco de hemorragia nos pacientes que tomam medicamentos coagulantes. Deve ser honesto com o médico sobre a quantidade de álcool que bebe diariamente.

As recomendações sobre o consumo de álcool variam de país para país, mas a Organização Mundial de Saúde recomenda que as pessoas não consumam mais de duas unidades padrão de álcool por dia.
Clique aqui para saber quantas unidades há numa bebida.

Deve também tentar ter pelo menos dois ou três dias sem álcool por semana.
Saiba mais sobre as diretrizes para o consumo moderado de álcool (PDF)

 

Cafeína

Beber demasiada cafeína pode aumentar a tensão arterial e a frequência cardíaca (o que pode causar fibrilhação auricular). Portanto, pode ser aconselhável limitar o consumo de cafeína para um nível moderado, por exemplo, duas a três chávenas de café por dia.

Tabagismo

No caso da fibrilhação auricular, ocorrem danos adicionais, porque o tabagismo torna o batimento cardíaco mais rápido e reduz o nível de oxigénio no sangue. O médico recomendará vivamente que não fume para a sua saúde em geral. Procure aconselhar-se com o seu médico de clínica geral.

Perda de peso

A obesidade está intimamente ligada ao desenvolvimento de fibrilhação auricular e aumenta a probabilidade de recorrência de fibrilhação auricular após intervenções como ablação. A perda de peso e a falta de flutuações de peso significativas melhoram o controlo da fibrilhação auricular, assim como os resultados após a ablação. Os dados científicos apoiam fortemente a recomendação de perda de peso tanto para a prevenção como para o tratamento da fibrilhação auricular. O principal objetivo em pacientes obesos é perder 10% do peso corporal a curto prazo.

Stress

A experiência clínica associa o stress a episódios de fibrilhação auricular, mas os dados de ensaios clínicos são limitados. É plausível que os esforços para reduzir o stress diário (por exemplo, ioga, meditação, técnicas de relaxamento, exercício moderado) podem contribuir para controlar a fibrilhação auricular, pelo que recomenda-se que evite o stress o máximo possível para a sua saúde geral.

Mudanças na alimentação

Um estilo de vida saudável e uma alimentação saudável e equilibrada são importantes para todos, mas é especialmente importante para as pessoas com problemas cardíacos, como fibrilhação auricular. Recomendamos que tenha uma alimentação saudável e equilibrada e que perca peso caso tenha excesso de peso.

Se tiver hipertensão, é aconselhável que coma alimentos com baixo teor de sal (pode verificar isso nos rótulos dos alimentos) e não adicione sal durante a cozedura ou à mesa. Pode perguntar ao médico sobre a possível substituição do sal habitual por sal de potássio (outro tipo de sal que não causa aumento da pressão arterial) ou ervas naturais.

A alimentação é particularmente importante se estiver a tomar medicamentos anticoagulantes específicos (antagonista da vitamina K). Isto acontece porque determinados alimentos, em particular vegetais de folhas verdes (alface, acelga, espinafre), contêm muita vitamina K que tornam esses medicamentos menos eficazes no corpo. Saiba mais sobre a alimentação para pacientes que tomam varfarina e antagonista da vitamina K.
Se estiver a tomar suplementos alimentares ou medicamentos à base de plantas, como erva-de-são-joão, pergunte ao médico sobre possíveis interações com a sua medicação, principalmente novos anticoagulantes (NOACs).

O consumo habitual de óleo de peixe não é recomendado para reduzir os episódios de fibrilhação auricular.

Vida sexual

Muitas vezes, as pessoas que sofreram problemas cardíacos preocupam-se com as restrições da atividade sexual. Acreditam que a atividade sexual pode ser arriscada e pensam “Eu tenho que evitá-lo” ou “Há o risco de ficar muito excitado e isso poderia matar-me.” Esses pensamentos causam stress e ansiedade desnecessários.
A boa notícia é que, para a maioria das pessoas com problemas cardíacos, a atividade sexual é segura e recomendada pelos médicos. Deve pensar desta forma; para um homem ou mulher comum, a atividade sexual exerce o mesmo volume de trabalho no coração que uma caminhada a um ritmo constante durante 20 minutos e ter um orgasmo é o mesmo que subir um lance de escadas. O exercício é bom para o coração e a atividade sexual é apenas outra forma de exercício. Na verdade, a atividade sexual regular pode ser boa para o coração. Consulte o médico sobre a sua atividade física, especialmente se sentir intolerância ao exercício.

  • O sexo é bom para o coração.
  • O sexo alivia o stress.
  • O sexo estimula o sistema imunológico.

 

Condução

A maioria dos pacientes com fibrilhação auricular pode conduzir. No entanto, não deve conduzir se sentir quaisquer episódios de tonturas ou desmaios e deve informar o médico, uma vez que estes sintomas podem estar relacionados com a fibrilhação auricular.

 

Viagens

Em geral, não há razão para não viajar (incluindo viajar de avião) se tiver fibrilhação auricular, mas é melhor consultar primeiro o médico. Recomenda-se uma viagem confortável e, idealmente, que evite temperaturas extremas (calor e frio) e altitudes elevadas.
Antes de fazer quaisquer planos de férias é aconselhável que:

  • A sua fibrilhação auricular esteja bem controlada e estável.
  • Leve consigo toda a medicação e certifique-se de que tem medicamentos suficientes para a estadia.
  • Leva um resumo do seu histórico médico.
  • Fale com o médico sobre um plano de ação caso tenha um episódio de fibrilhação auricular durante a estadia.

 


Páginas relacionadas