Quem corre maior risco de fibrilhação auricular?

Não compreendemos completamente como a fibrilhação auricular se desenvolve, mas existem muitos fatores que aumentam o risco de desenvolver fibrilhação auricular durante a sua vida, e seguem-se alguns exemplos no quadro abaixo. Estes incluem problemas de saúde como diabetes ou doença renal, além de doenças do coração. É importante tratar essas comorbidades para otimizar os resultados da terapia de fibrilhação auricular. A fibrilhação auricular também pode ocorrer sem qualquer outra doença e quase 1/3 das pessoas com fibrilhação auricular têm um coração normal e nenhuma outra doença. Isto é descrito como “fibrilhação auricular isolada“.

Estilo de vida Comorbidades / Outros problemas
Abuso de álcool Hipertensão / Diabetes
Obesidade Infarto cardíaco / Doença cardíaca coronária
Inatividade física ou desportos de resistência excessiva Insuficiência cardíaca ou doença das válvulas cardíacas
Tabagismo Perturbações do sono / Apneia obstrutiva do sono
Stress Cirurgia cardíaca
Abuso de estimulantes (incluindo cafeína) Tireotoxicose (tiroide hiperativa)
Infeção pulmonar (infeção dos pulmões)
Doença cardíaca congénita

 


Páginas relacionadas