In order to bring you the best possible user experience, this site uses Javascript. If you are seeing this message, it is likely that the Javascript option in your browser is disabled. For optimal viewing of this site, please ensure that Javascript is enabled for your browser.

Testes e examenes complementares de diagnóstico

Testes e examenes complementares de diagnóstico

Diagnóstico de fibrilação auricular

COMO É DIAGNOSTICADA A FIBRILAÇÃO AURICULAR?

Em muitas situações, a fibrilhação auricular pode ser detetada simplesmente medindo o pulso ou ouvindo o coração com um estetoscópio. A presença de um batimento irregular e muitas vezes rápido pode sugerir que tem fibrilhação auricular. No entanto, o diagnóstico de fibrilhação auricular só pode ser realizado formalmente através de um eletrocardiograma. Em geral, são necessários exames adicionais para identificar as causas subjacentes da fibrilhação auricular.

 

Testes e exames complementares de diagnóstico

Eletrocardiograma (ECG)

Este é o exame mais importante para o diagnóstico da fibrilhação auricular. É rápido, indolor e regista a atividade elétrica do seu coração a partir da sua pele. Para este exame, são colocados adesivos (elétrodos) nos braços, pernas e ao longo do peito (Figura 2). Normalmente, o procedimento demora apenas alguns minutos e pode ser realizado na clínica do médico de família ou num hospital.

Um ECG normal em repouso só regista o batimento cardíaco durante alguns segundos, por isso, se a fibrilhação auricular não estiver presente durante esse período, será necessário recorrer a outros meios para monitorizar o ritmo cardíaco durante períodos prolongados.

Monitorização cardíaca

A deteção da fibrilhação auricular pode ser difícil em pessoas que só a têm de forma intermitente. Pode ser necessário registar o traçado do ECG durante 24 horas ou mais tempo (às vezes durante 7 dias ou mais). Neste exame, frequentemente denominado “monitorização de Holter”, utiliza-se um pequeno dispositivo de registo ligado por fios a 4 adesivos especiais (elétrodos) colocados no seu peito (figura 3). O dispositivo é fácil de transportar debaixo da roupa. Não é necessário permanecer no hospital para este exame e pode realizar a maior parte das suas atividades quotidianas. Um diário das suas atividades de quaisquer sintomas sentidos durante a utilização do dispositivo pode ser útil. Este exame fornecerá informações detalhadas para o seu médico sobre o ritmo cardíaco e as importantes correlações com os seus sintomas durante o período de registo.

Uma alternativa é a monitorização de eventos. Este tipo de monitorização só regista a atividade elétrica do coração em determinadas alturas quando o estiver a utilizar ou quando ativar manualmente um registo, por exemplo, quando sentir sintomas. Estes monitores de eventos portáteis podem ser utilizados até três semanas.

Caso exista suspeita de fibrilhação auricular, mas esta continuar a não ser detetada, pode ser utilizado um monitor cardíaco implantável ou injetável para monitorização contínua do ritmo cardíaco. Estes monitores minúsculos são posicionados sob a pele do peito e podem registar alterações no ritmo cardíaco durante até três anos.

Atualmente, muitas pessoas compram os seus próprios monitores que podem ser associados ao seu smartphone e registam apenas um traçado de ECG com o ritmo do coração. Quando sente um sintoma, simplesmente pega no telemóvel e regista um ECG (exemplo: AliveCor). No entanto, esses registos devem ser avaliados por um médico para confirmar o diagnóstico de fibrilhação auricular. 

 

Análises ao sangue

Assim que a fibrilhação auricular seja diagnosticada pode ser-lhe pedido que faça algumas análises ao sangue. Should be changed to: Embora as análises laboratoriais não sejam necessárias para realizar o diagnóstico da fibrilhação auricular, podem ajudar a explicar por que motivo desenvolveu a arritmia, por exemplo, devido a problemas na glândula tiroideia ou alterações do equilíbrio dos eletrólitos no seu organismo. Estas análises ao sangue também irão ajudar o seu médico a escolher o(s) tratamento(s) mais indicado(s) para si. 

 

Ecocardiograma

Um ecocardiograma, frequentemente chamado de “eco” ou “ecografia do coração”, é um exame utilizado para verificar as dimensões e a função do seu coração. É um exame inteiramente indolor e inócuo. O profissional de cuidados de saúde (médico ou técnico cardiopneumologista) irá examinar o seu peito utilizando um dispositivo manual (sonda) com algum gel (figura 4) para poder caracterizar a estrutura e a função das quatro principais câmaras do coração, do músculo e das válvulas cardíacas. 

 

Ecocardiografia transesofágica

Um ecocardiograma transesofágico (TEE) é utilizado para captar imagens do seu coração através de uma sonda num tubo flexível colocado pela boca a nível do esófago - provavelmente receberá medicação para o ajudar a permanecer descontraído durante o procedimento. Devido à posição do coração no peito, o TEE pode facultar perspetivas muito detalhadas das partes mais importantes do coração em doentes com fibrilhação auricular (a aurícula esquerda, o seu apêndice e o músculo e válvula cardíacos circundantes). O TEE é o exame ideal para detetar coágulos sanguíneos que possam estar a formar-se devido à fibrilhação auricular.

 

Imagens adicionais do coração

Consoante o seu historial médico podem ser necessárias imagens adicionais do coração. A tomografia cardíaca por computador ou a ressonância magnética cardíaca podem ser utilizadas para realizar uma análise da estrutura e função do coração. Contrariamente a outros testes de imagiologia, a imagem por ressonância magnética não utiliza radiação nem implica qualquer risco de provocar cancro. As imagens obtidas por tomodensitometria ou por ressonância magnética podem ser utilizadas para orientar o tratamento da fibrilhação auricular. Isto inclui a deteção das causas da fibrilhação auricular, bem como o planeamento e a orientação para procedimentos de ablação com cateter. Para formar uma imagem cardíaca eletrofisiológica detalhada estas imagens podem ser fundidas num sistema computorizado tridimensional, com dados de eletrogramas intracardíacos obtidos durante um estudo de mapeamento eletrofisiológico.

 

Prova de esforço

Algumas causas ou consequências da fibrilhação auricular são mais fáceis de diagnosticar quando o coração está a trabalhar com intensidade ou a bater rapidamente. Pode ser realizada uma prova de esforço através da estimulação física ou farmacológica do coração. A escolha de um ECG, um ecocardiograma, uma imagem de ressonância magnética ou outro método para examinar o seu coração durante uma prova de esforço depende da sua situação individual.